segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Entregou-se sem um zelo ao apelo de sorrir
Ofertou-se inteira e dócil a um fácil seduzir
Sem saber que o destino diz verdades ao mentir
Doce ilusão do amor
Arrasada, acabada, maltratada, torturada
Desprezada, liqüidada, sem estrada pra fugir
Tenho pena da pequena que no amor foi se iludir
Tadinha dela
Hoje vive biritada sem ter nem onde cair
Do Acapulco à calçada ou em frente do Samir
Ela busca toda noite algo pra se divertir
Mas não encontra não
Desespera dessa espera por alguém pra lhe ouvir
Sente um frio na costela e uma ânsia de sumir
Transa modelito forte, comprimidos pra dormir
E não acorda mais

3 comentários:

Guiga disse...

Que lindo, e que foda vindo de alguém como você. Um dia eu chego lá.

adan arruda. disse...

certeza que a Giulia ja ficou
Rô-Rôuca de tanto cantar Angela.

Giulia Piovezan disse...

boa hahahaha